jesus essenio

Na reunião dos Doze, conhecida como a Última Ceia, o Mestre anuncia sua
partida, e pede a seus discípulos que não fiquem tristes pois ele voltará a encontrá-los.
Ele olha para Judas e avisa que ele faça o que tem que ser feito.
"Amai-vos uns aos outros, assim como Eu vos amei".
Parte o pão e o divide, simbolizando seu corpo e divide o vinho, simbolizando
seu sangue, que formaria a Aliança
Jesus, então, inicia a sua mais árdua jornada, consciente de que a Humanidade 
estaria purificada e que seu Pai celestial também estava pronto.
O Grande Mestre Jesus sabia que era chegada a sua hora mais forte e 
dolorosa. Precisava ser o instrumento através do qual, seu Pai livraria a humanidade 
do peso energético que possuía. Ele queimaria, em sua dor, a dor dos Homens e 
faria a aliança, trazendo a energia Crística ao mundo e para isso a Terra deveria
estar limpa e pura.
Em seu espírito ele transmutaria a negatividade e seu corpo seria o caminho. Seria
refletido nele as emoções humanas que Jesus não precisava sentir, devido a
sua grande evolução.
Jesus teria que sentir os medos, as angústias, as dúvidas e todos os conflitos que o 
Homem sentia.
Sua dor era tão intensa, que Jesus suou sangue, sua alma de Luz era o suporte
de intenso sofrimento, porém, seu ego e corpo sentiam o medo do que estava
 por vir. "Pai, tudo é possivel para vós, livrai-me deste cálice de amarguras."
 Naquele momento ele percebeu que estava fraco e assumindo sua "Espada
de Luz" lutou contra si mesmo e adentrando sua própria alma, como Filho
 do Homem, ele retomou sua força: "Pai, que seja feita a vossa Vontade e
 não a minha!" A partir daí ele assume seu calvário. Até a nona hora, Jesus
estava entregue ao
escárnio humano. Uns choravam por ele, outros o debochavam, mas ele
sabia que tudo fazia parte do Grande esquema Cósmico ao qual ele
aceitou ser a chave primordial.
Fazia parte da missão de Jesus ser crucificado e deveria ser traído. Seu discípulo mais culto, rico e admirador, assumiu esta árdua função.
Penso que Judas não traiu Jesus por 30 moedas, até porque, ele não precisava disso.
Assim, Judas entrega seu amado Meste à Caífas e vai até Jesus, para com um beijo, identificá-lo aos soldados. 
Jesus se permite prender.
Levado até Pilatos, Jesus se deixa julgar...
O Mestre estava diante de seus inimigos, e entre eles, Caifás.
Interesses políticos e religiosos, onde o poder 
vale mais que a Verdade, levaram o Mestre ao seu destino - A Crucificação.
Jesus não estava sendo crucificado porque falava em amor, mas porque sua
liderança se tornava perigosa para a Igreja e para os romanos.

O Mestre entrega seu corpo às mais diversas torturas e dores; humilhações e acusações.
Ele tinha o poder de, com 
um só dedo, derrubar o império romano e tomar as rédias da política e até
transformar a escravidão 
em liberdade. Mas isso não o tornaria diferente deles e deixaria de cumprir o que 
lhe foi determinado e a missão que escolheu realizar.
Jesus queda diante de seus inimigos, mas não queda diante de sua história 
e nem diante de seus seguidores.
Sua dor transmutava a humanidade, purificava o mundo e preparava a 
Terra para sua Grande Iniciação!
O Mestre carrega sua Cruz. A Cruz do mundo para se por em seu meio e se 
tranaformar numa "Rosa no centro da Cruz". A Rosa vermelha da Aliança.
E diante do povo ele leva 
em seus ombros feridos a cruz da humanidade e por onde passava deixava 
a marca de sua face de Paz e Luz.
Estava chegando a sua 
Nona Hora e todo o 
Universo e todas as Hierarquias Celestes comungavam este momento de dor e alegria.
O Filho do Homem cumpria com segurança e amor a sua tão dolorosa jornada.
Chega, então Jesus ao Gólgota (lugar do crânio, em hebraico)
O Filho do Homem deita em sua cruz, é pregado e em sua dor ele interioriza 
sua majestosa Luz.
Sua pior dor está perto de sua maior realização. Sua agonia é cúmplice de sua
Luz. Sua humilhação é solidária ao seu intento.
 
E numa mistura de dor e alegria, no êxtase de sua missão, Jesus é crucificado...
Jesus está pronto para entregar 
seu espirito - O Cristo.
"Pai perdoai-os, eles não sabem o que fazem". 
Esta frase de AMOR, marcaria sua personalidade de Luz para sempre.
"Pai em Vossas Mãos entrego meu ESPIRITO".
Com estas palavras o Filho forma a condição Cósmica para que o Pai Celestial 
faça a Grande Aliança. A Terra era purificada para que se estabelecesse a Energia
Primordial Daquele que manifestara a Criação!
Judas seu amado discípulo, não suportou a dor de seu Mestre e enforca-se...
Na solidão de sua árdua missao de trair o Mestre, Judas se enforca.
Passou a ser o símbolo da traição por dinheiro, e no sábado de Aleluia, o povo
malha Judas, fazendo, exatamente, o contrário do que o Mestre ensinou.
Pois julgam, condenam e jogam a primeira pedra no"traidor", sem perceber, que
há um Judas dentro de cada um de nós.
Jesus é levado pelos Essênios e pelos que ali estavam, até uma gruta, onde seria o sepulcro
Por toda a madrugada, Maria Madalena vela seu Mestre.
Comungava com Ele e refletia sobre tudo que havia aprendido e se alimentava da Luz que recebera de seu amado Avatar.
Dentro da gruta...
Jesus é acompanhado pelos Essênios, seus discípulos.
A Fraternidade Essênia era uma Ordem de Terapeutas Místicos que 
estudavam medicina e diversos assuntos da sabedoria antiga.
Estiveram ao lado de Jesus até a sua ressurreição.
Jesus está pronto, sua missão pública acabara na cruz e agora deveria se dedicar
aos ensinamentos entre seus discipulos e Iniciados



















E assim, Jesus acorda de 
seu sono profundo. Estabelecera a Aliança, agora continuaria sua missão secreta entre 
os que, mais tarde, 
levariam sua palavra ao mundo. Precisava preparar seus discípulos e seguidores
Iniciados, para que 
levassem a sua Verdade 
aos quatro cantos da Terra.
Madalena vê seu 

Mestre...


Ao Acordar de seu torpor, Maria madalena percebe que a pedra do sepulcro
estava afastada e o túmulo vazio, desesperada ela pergunta aos soldados, onde estaria seu Mestre.
Algo havia acontecido e os soldados procuravam o corpo de Jesus.
Maria, então acha se Mestre

Madalena encontra e comtempla Jesus. Estava diante do Milagre da Vida!
"Não me toques, pois ainda nao ascendi à meu Pai, vá e diga aos discípulos o que viu".
Com estas palavras Jesus se afastou e Ascendeu ao Pai, para reinicar sua missão entre 
na Fraternidade Branca.
E o Filho do Homem passou a viver secretamente. Para o mundo ele havia morrido na 
cruz, marcando a história da humanidade. Mas há relatos de que viveu até os 80 anos, 
ensinando nas Ordens Secretas e passando a Verdade, para que um dia ela fosse revelada!


--------------------------------------------------------------------------------


jesus essenio

A VIDA MÍSTICA DE JESUS CRISTO ORDEM ROSACRUZ AMORC

Jesus Cristo recebeu educação mística e se tornou Mestre numa cerimônia
secreta na pirâmide de Quéops, no Egito. A Bíblia não informa nada sobre
a vida de Jesus dos 12 aos 30 anos, Ele surpreendeu aos sábios do templo
de Jerusalém ao mostrar sua grande sabedoria, aos 12 anos.  Depois, só
está registrado o que ocorreu três anos antes de Ele ser crucificado.

Essa lacuna na história da Bíblia é preenchida com documentos
importantíssimos, como os evangelhos apócrifos (ocultos, secretos), que
reúnem ensinamentos e histórias sobre a vida de Jesus escritos por seus
contemporâneos.

A igreja só aceita como autênticos os quatro evangelhos escritos com base
nas anotações dos apóstolos Mateus, Lucas, Marcos e João. Apesar de
muitos textos apócrifos terem sido destruídos, vários outros foram salvos
porque já haviam sido traduzidos e difundidos por diversas seitas. Assim,
muito do que se registrou naquela época pôde chegar aos nossos dias.

Outra fonte de informação importante e reveladora sobre a vida secreta de
Jesus são os escritos gnósticos. Esses documentos, achados no Egito em
1945, reúnem os ensinamentos que Jesus teria passado a alguns dos seus seguidores, integrantes de uma seita que buscava o saber absoluto, o
conhecimento (gnosis) completo e transcendental de tudo e viram em Jesus
o seu Grande Mestre.

Tanto os evangelhos apócrifos quanto os escritos gnóstico apresentam
Jesus como um líder de formação mística, que não falava de pecado nem de
arrependimento mas de compreensão espiritual e iluminação. E tratava areencarnação como um fato natural teoria não aceita até hoje pela maioria
das religiões cristãs.

Em 1947, a descoberta de seiscentos manuscritos em várias grutas do Mar
Morto, na Jordânia, veio esclarecer alguns mistérios da vida do Mestre.
Esses documentos, de 2 mil anos de idade, foram escritos por integrantes
de várias seitas iniciáticas antigas,principalmente pelos essênios, povo
místico que viveu entre 2 a.C e 2d.C na Palestina.

Conhecidos por sua extrema piedade e seu poder de cura, os essênios
viviam em comunidades fechadas, eram seguidores do Velho Testamento,
praticavam o batismo e partilhavam seus bens materiais.

Segundo os rosacruzes, os essênios constituíam uma fraternidade secreta,
filiada à grande Fraternidade Branca, fundada no Egito pelos ascendentes
do Faraó Akenaton cerca de 1450 a.C.

Os manuscritos do Mar Morto foram considerados autênticos pela Escola
Americana de Pesquisas Orientais de Jerusalém. em 1950, o arqueólogo
inglês G. Lankester Harding,diretor do Departamento Jordaniano de
Antiguidades e estudioso do assunto, publicou um texto sobre o que havia
nesses seiscentos manuscritos e também em milhares de fragmentos
achados com eles.

Segundo Harding, a revelação mais surpreendente existente nesses
documentos é a semelhança entre a prática e os preceitos dos essênios
com a doutrina que, antes da descoberta dos manuscritos, era considerada
fundamentalmente cristã.

Antes da descoberta dos manuscritos, nas três primeiras décadas deste
século, o líder máximo da Antiga e Mística Ordem Rosacruz (Amorc) nas
Américas, Harvey Spencer Lewis, já afirmava a origem essênia de Jesus
e chegou a escrever um livro sobre o assunto, intitulado A Vida Mística de
Jesus.

Para escreve-lo, ele visitou locais sagrados e consultou documentos
antigos guardados em arquivos de mosteiros orientais. De acordo com
Lewis, os pais de Jesus, Maria e José, pertenciam à comunidade essênia.

Com base nessa certeza, Lewis, assim como outros estudiosos do assunto,
afirma que Jesus recebeu, na infância e na adolescência, educação conforme
os preceitos essênios.

Ele foi preparado num Colégio localizado no Monte Carmelo, na Palestina,
para se tornaro Cristo, o Messias (as duas palavras significam salvador) tão aguardado por esse povo, inconformado com o domínio do Império
Romano.

Depois dessa preparação, o jovem mestre começou a estudar
profundamente as antigas religiões e diversas seitas que influenciaram o desenvolvimento da civilização.

Para isso, foi para a Índia e o Tibete, onde conviveu durante alguns anos
com os principais sábios budistas, ao deixar a Índia, Jesus viajou para a
Pérsia (atual Irã), onde esteve com os magos mais eruditos do país.

As viagens não pararam aí. Segundo se conta, Jesus aprendeu também
com sábios da Assíria e, nessa época,já atraía multidões à sua volta, por
seus poderes de cura e suas palavras.

Em seguida, Jesus atravessou a Babilônia,esteve na Grécia e, por fim, no
Egito, onde teria se iniciado nos mistérios da Grande Fraternidade Branca
e obteve o título de Mestre,numa cerimônia realizada nas câmaras secretas
da Pirâmide de Quéops.

Depois dessa cerimônia, vários mensageiros partiram do Egito para outros
países a fim de proclamar a vinda do Salvador. Terminada toda essa
preparação, Jesus voltou à Palestina,onde foi batizado por João, ele também
um essênio.  Foi no momento do batismo que o Espírito Santo desceu sobre
ele em forma de Luz intensa e depois de uma luminosa pomba branca e ele
se tornou o Cristo, o Messias, Deus entre os homens.